quarta-feira, 26 de novembro de 2014

PROJETO DROGAS NÃO! EU QUERO VIVER!

Escola Municipal de Ens. Fundamental Irmã Leodgard Gausepohl
Núcleo de Informática Educativa- NIE






Projeto:  Curtas das Escolas Municipais de Santarém

Tema: Drogas não! Eu quero viver!



“Só o amor não basta para tirar nenhum filho das drogas, é preciso conhecimento”. (Içami Tiba)







Santarém
2014



Escola Municipal de Ens. Fundamental Irmã Leodgard Gausepohl
Endereço: Rua Uruará, s/n, Bairro: Uruará, telefone: 93 9129 8583
Diretora: Maria Elizabeth dos Santos Fernandes
Pedagogas: Daricleide Rodrigues, Doriane Ezaquiel
Secretario: José Denilson Dias
Professora facilitadora: Lúcia Maria Maia Pimentel
Código Censo /Inep 1557463-6


Professoras envolvidas
Ø  Leila Maria Maia da Silva
Ø  Maria Amaral Sousa
Ø  Maria Delzanira Flexa dos Santos
Ø  Waldilene Corrêa de Sousa

Público Alvo: Alunos do 4º e 5º ano
Turnos: Matutino e Vespertino











Santarém
2014

JUSTIFICATIVA

       Vivenciar novas formas de ensinar e aprender, incorporando as tecnologias na práxis educativa na era digital, significa criar condições para que o aluno possa lidar com essa tecnologia sem ser dominado por ela, para isso o educador precisa ter conhecimento técnico e pedagógico para poder integrá-la ao processo educativo. Esse é o grande desafio da tecnologia educacional.

                                          Com o crescimento de um pensamento educacional mais crítico a                   partir dos anos 80, Tecnologia da Educacional passou a ser compreendida como uma opção de se fazer educação contextualizada com as questões sociais e suas contradições, visando o desenvolvimento integral do homem e sua inserção crítica no mundo em que vive(Pocho,p.14)

         Nesse contexto visando inserir como recurso pedagógico os filmes de curta metragem na sala de aula, com a Temática DROGAS, democratizando  dessa forma os espaços escolares e as ferramentas digitais, pois hoje mais do que nunca, o professor deve inovar a sua prática pedagógica através das tecnologias existente em sua escola  não  dá mais para ensinar como antes é preciso acompanhar as mudanças e um desses caminhos é a promoção de uma educação voltada para interação e participação dos professores e alunos a caminho de novas descobertas e inovações tecnológicas na prática docente ,estimulando  no educando o gosto e o prazer de aprender fazendo, de forma que esse conhecimento seja interessante e desafiador no contexto ensino aprendizagem.
       Relevante a temática que será abordada no projeto, pois é urgente a necessidade de se falar abertamente sobre as drogas e de trocar e adquirir informações sobre o assunto, pois muitos de nossos alunos estão na fase da pré-adolescência e de certa forma acabam se envolvendo com “más companhias” e se tornam vulneráveis a violência, drogas lícitas como cigarro e bebidas alcoólicas e as drogas ilícitas como maconha, cocaína e outras mais. Uma vez que nesse contexto o bairro Uruará para a polícia é visto como uma área de risco para os moradores, por terem várias gangues onde a maioria delas é composta de adolescentes e até mesmo crianças. Dessa forma o projeto vem contribuir para a formação social, motivando-os para uma perspectiva de vida na sociedade, onde encontram-se inseridos, além de promover a interatividade no aprender fazendo e o professor torna-se o mediador nesse processo.
        Pois, conforme    Edgar Morin, em seu livro “Os sete saberes à  educação no futuro ” nos diz que são grandes os desafios reservados para este século e é fundamental entender as transformações pelas quais o mundo está passando, principalmente para quem tem a responsabilidade de educar. Afinal hoje não basta o professor repassar informações para seus alunos. É preciso prepará-los para agir como cidadãos e interferir de modo ativo na sociedade.


OBJETIVO GERAL

Ø  Sensibilizar a comunidade escolar sobre a questão das drogas em sua vida, na sala de aula, na escola e arredores.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS


Ø  Esclarecer as crianças, adolescentes, jovens e pais quanto aos perigos do uso das drogas;
Ø  Facilitar às famílias a conversação sobre drogas com as crianças e com os jovens;
Ø   Alertar que a bebida alcoólica também é uma droga e esclarecer sobre os efeitos físicos e comportamentais, bem como de suas consequências;
Ø  Informar sobre os efeitos das principais drogas consumidas por adolescentes e jovens.
Ø  Produzir um curta metragem, áudio, textos e outros subsídios sobre o tema em estudo para serem socializados na escola como um todo.
Ø  Mostrar conhecimentos e habilidades com as ferramentas tecnológicas nas produções.





 METODOLOGIA

As ações do projeto acontecerão, nas aulas de Informática educativa, sendo uma extensão da sala de aula das turmas envolvidas que serão do 4º e 5º ano, abordando o conteúdo de forma interdisciplinar, tendo a parceria do Laboratório de Informática Educativa –LIE da escola e do Programa Uca (PROUCA), com o apoio técnico e pedagógico das acadêmicas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação a Docência- PIBID de Informática Educacional – Ufopa, que temos na escola.
 Tendo como proposta inicial uma palestra com Enfermeira Neide Mara de Sousa Silva do CAPSAD(Centro de Atenção Psicossocial ao usuário de álcool e drogas) para a comunidade escolar, na segunda semana de outubro.
   Em seguida a temática será abordada nas aulas do LIE, sugestões de atividades, aula vídeo, pesquisas na web, peça teatral, paródias, pinturas, cartazes informativos, coreografia de acordo com a criatividade da professora e da turma.
 Propomos fazermos uma culminância na escola dessas atividades antes do evento de socialização do NIE, com presença da comunidade escolar.
Outro passo será promover oficinas de redação, áudio e vídeo para o grupo de alunos que irão formar a equipe do curta metragem, propomos ser toda sexta a partir da segunda semana de outubro em horário contrário de sala de aula como pretendemos fazer um tele jornal, contarei com 12 alunos, seis de cada turno, para as oficinas, no laboratório.
Construção do Banner.
Após roteiro pronto e estudado, iniciaremos as gravações para socialização em dezembro.

AVALIAÇÃO
A avaliação dá-se a no contexto escolar através da realização das atividades propostas, observando o empenho, motivação e interesse dos envolvidos nesse processo, além dos conhecimentos e habilidades com os recursos digitais no trabalho coletivo e compartilhado.


CRONOGRAMA
Atividades
2014
Set
Out
Nov
Dez
Reunião com a equipe gestora da escola para discutir a temática do projeto e suas ações
X



Elaboração e digitação do projeto
X



Apresentação do projeto para as professoras e alunos da turma.

X


Palestra com a CAPSAD- Enfermeira Neide Mara

X


Pesquisas, produções, oficinas, discussões

X
X

Gravações e edição de áudio e vídeo


X

Culminância do projeto na escola


X

Construção e entrega do BANNER


X

Socialização das curtas/NIE



X
Avaliação
X
X
X
X



 REFERÊNCIAS

CARMO, Josué Geraldo. Interatividade na educação, através da comunicação, na transmissão, criação e recriação da cultura dentro da diversidade para uma educação de qualidade. Maio/2003 http://www.educacaoliteratura.com/index%20100.htm, acesso 18/09/2014.
MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. 9.ed. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: UNESCO,2004. Slides organizados por Sandra Freitas, em 2010, para atender o Curso – Prática Docente no Ensino Superior, realizado pela UFPA.
POCHO, Claúdia  Lopes. Tecnologia Educacional: Descubra suas potencialidades na sala de aula. 7.ed.-Petrópoles, RJ: Vozes,2012.

   

ALGUNS REGISTROS























Sgto. Joel Corrêa do Policiamento Escolar /Batalhão Tapajós /Santarém






Nenhum comentário:

Postar um comentário

NOSSA ESCOLA É PIONEIRA NO PROJETO UCA EM SANTARÉM, DEIXE AQUI O SEU COMENTÁRIO E NOS AJUDE A MELHORAR O NOSSO BLOG. UM ABRAÇO ESPECIAL PRA VOCÊ.